Parque Nacional da Chapada Diamantina / Bahia / Brasil - Agência Tatu na Trilha : 75-33441124

Menu Inicial : www.infochapada.com               ver também a galeria de fotos da Travessia

4 Mapas detalhados  ilustram o roteiro na sua totalidade:

Mapa Geral
Mapa Local 2 = Vale do Capão / Cotinguiba
Mapa Local 3 = Cotinguiba / Machambongo
Mapa Local 4 = Machambongo / Baixão

Este roteiro é realizado somente para grupos já formados de caminhantes com boa prática de trekking

As inúmeras trilhas do Parque Nacional formam uma teia cujo eixo é uma linha Norte Sul de extremidades idealmente representadas pelo Vale do Capão (Município de Palmeiras) e o Baixão (Município de Ibicoara, perto da cachoeira do Buracão ). O Vale do Capão fica no extremo norte do Parque mas fora dele, por sua vez o Baixão è um vale escondido nas escarpas do município de Ibicoara, sul do Parque Nacional da Chapada Diamantina. O destino e a "poligonal" colocaram este lindo e pequeno vale dentro dos limites do Parque Nacional, junto com sua população !

Andando somente em trilhas existentes há muitas décadas, algumas delas pavimentadas, è possível fazer esta Travessia Diamantina no sentido Norte Sul num percurso de aproximadamente 112 quilômetros que leva o trilheiro nas mais belas paisagens da Cordilheira do Sincorá, serpenteia entre antigos garimpos de diamante, tocas ornamentadas por Índios e cachoeiras monumentais.

O PERCURSO

Saindo do Vale do Capão, portal privilegiado para a zona central do Parque Nacional. A partir daí è só seguir pelo "Gerais dos Vieira", (Mapa Local 2 ) dar um alô de cima ao Vale do Pati, fazer uma visita no alto do espetacular Vale do Cachoeirão e seguir pleno sul no rumo maravilhoso do Rio Preto até alcançar Santa Isabel do Paraguaçu, aliás...Mucugê, vila de muito charme e história.

Sempre na direção sul e beirando o Rio Mucugê, a trilha penetra na temida Serra do Gobira onde se esconde o antigo Capão do Correio. "Mapa Local 3 ". Logo em seguida um colo abre um grandioso panoráma sobre os imensos gerais de Mucugê, as terras do Machambongo. São quilômetros de leves ondulações que deixam o andarilho eufórico. Saindo do Machambongo, uma trilha discreta permite adentrar a Serra do Baixão onde borbulha a telúrica Cachoeira da Fumacinha mais ao sul até o próprio vale do Baixão, dominado pelo Morro do Gavião."Mapa Local 4 "

São 112 km de pura emoção ( levantamento feito com GPS), com duração mínima de 7 dias podendo se estender a 10 ou 11 dias para desfrutar das mil curiosidades e encantos desta Travessia Diamantina.

Mapa Geral

OS PONTOS DE INTERESSE

        Mapa Geral.

A Travessia Diamantina segue pela crista da serra na direção do Pati num cenário de rara beleza. Os vários afluentes do Rio Preto oferecem locais de acampamento para quem não quer descer para a Ruinha. Ela cruza com a trilha Guiné-Pati que foi durante décadas uma das vias principais de acesso ao Pati. Logo depois e em direção ao leste nasce o rio que pula vertiginosamente no Vale do Cachoeirão (Pati). Uma toca (da Águia) marca a entrada deste vale. Logo depois três morrotes de igual tamanho enfeitam o cenário dos gerais; uma outra trilha penetra nesta altura nas entranhas do Cotinguiba e corre em direção do Paraguaçu atravessando os extensos garimpos que fizeram a riqueza de Mucugê.

O Riachão drena todas as águas aqui presentes, toma fôlego para perfurar a terra e a pedra na cachoeira da Fumacinha.

Mapa Geral

          GPS

ver também a galeria de fotos da Travessia :


tatunatrilha . Tel :75 33441124